VISITA CULTURAL AO CONVENTO DE SANTOS-O-NOVO
12 Fevereiro, 2020
LIDER DO GRUPO PARLAMENTAR DO PAN VISITA UCSP ODIVELAS
14 Fevereiro, 2020

VIVA O DIA MUNDIAL DA RADIO

Refugiados da Palestina na Faixa de Gaza a ouvir a rádio no dia 1 de Janeiro de 1954.

Desde os aparelhos a válvulas elétricas aos que funcionam a pilhas e às rádios web, da primeira transmissão no início do século 20 até aos dias de hoje, na era da internet, o meio de comunicação com maior audiência em todo o mundo tem-se reinventado constantemente.
A tecnologia de transmissão de som por ondas de rádio foi desenvolvida pelo italiano Guglielmo Marconi no fim do século XIX, mas o Supremo Tribunal dos Estados Unidos concedeu a Nikola Tesla o mérito da criação do rádio, tendo em vista que Marconi usara 19 patentes de Tesla no seu projeto.

As primeiras transmissões para entretenimento regulares, começaram em 1920 na Argentina e nos Estados Unidos.

Com morte anunciada várias vezes, a rádio segue firme no seu papel de informar e entreter.
O Dia Mundial da Rádio foi proclamado pela Organização das Nações para a Educação, Ciência e Cultura, Unesco, em 2011.

A data de 13 de Janeiro, homenageia o veículo que segundo a Unesco “informa, transforma e une” as sociedades. Dados da agência indicam que a rádio chega a mais de 70% da população mundial. A Unesco aponta que a face da rádio está em mutação. A transição do analógico para o digital é também, uma oportunidade que traz novos desafios.

Novas Tendências

Em Portugal, segundo a empresa de audiências Marktest, ainda é no carro que as pessoas usam mais a rádio. No entanto, mais de 1,3 milhões de pessoas já ouvem no telefone móvel.
Independentemente dos avanços tecnológicos, a função social da rádio continua tão presente hoje, como no passado. De alcance inigualável, graças ao seu baixo custo chega a comunidades remotas, vulneráveis e muitas vezes excluídas do acesso a outros meios.
Em Moçambique, segundo a diretora-geral do Instituto de Comunicação Social do país, Fárida Costa, 75% da população é informada pela rádio. Um veículo fundamental para promoção da paz e desenvolvimento.

Breve História da Radio em Portugal

Em Portugal, a radio surge do mesmo modo como aconteceu um pouco por todo o mundo. Muitas eram as pessoas tentaram construir as suas próprias emissoras de rádio, a primeira estação emissora nacional profissional, surge em Outubro de 1925 de nome, CT1 AA, por intermédio de Abílio Nunes dos Santos. O seu projeto foi continuado por um outro homem Américo dos Santos que fundou então a primeira rádio, a Rádio Graça, em Lisboa.
Em Maio de 1930, viria a surgir a primeira rádio no norte do país, a Rádio Sonora. Posteriormente, durante a primeira metade da década 30 vão aparecendo um pouco por todo o país várias estações de rádio que por esta altura colocavam no ar programas de informação, música e as chamadas radionovelas.

A história da rádio em Portugal fica também marcada em 1975 pela integração de várias rádios no grupo RDP (Radiodifusão Portuguesa), o que originou a que, as rádios que não foram integradas neste grupo acabassem por fechar por falta de ouvintes. Com esta integração, durante alguns anos, não foram permitidas novas estações de rádio de âmbito privado, o que levou ao surgimento em 1984 das primeiras emissoras clandestinas, as chamadas ” Rádios pirata”. Nos finais do ano de 1988 o governo trava a expansão destas rádios obrigando-as a fechar. Com o intuito de legalizar algumas rádios pirata surge no início de 1989 a nova lei da rádio, que permitiu às rádios pirata com melhores condições e equipamentos continuar as suas emissões normais.
Seja no digital, no analógico, nas ondas hertzianas ou na WEB, a magia da Radio continua a informar, a entreter e a encantar, onde quer que nos encontremos, por isso tenha um feliz dia da radio, da nossa parte, na Radio Cruzeiro, continuaremos a fazer todo o possível para alegrar os seus dias.

Os comentários estão fechados.