RITA GUERRA REGRESSA AOS CONCERTOS AO VIVO

O ELEVADOR DA BICA FAZ 128 ANOS
16 Julho, 2020
CDU ODIVELAS SAÚDA A RETIRADA DE AMIANTO DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE RAMADA
16 Julho, 2020

RITA GUERRA REGRESSA AOS CONCERTOS AO VIVO

RITA GUERRA

RITA GUERRA regressa aos concertos ao vivo a 17 e 18 de Julho 

acompanhada de novo single “Tudo Vai Passar”

Dias 17 e 18 de Julho (sexta e sábado) Rita Guerra regressa, finalmente, aos espetáculos ao vivo com dois concertos em Vila Nova de Santo André, em Santiago do Cacém.  São os primeiros deste período de “pós-confinamento”.

Também nesta sexta feira Rita Guerra regressa à edição de música nova: chama-se “Tudo Vai Passar” e revela uma nova sonoridade do reportório de uma das grandes vozes da música portuguesa.

A canção “Tudo Vai Passar” foi aquela que escolhi imediatamente como primeira a gravar, pela beleza e originalidade do arranjo. Eu sempre gostei muito de harmonizar, aliás eram as minhas disciplinas favoritas no Instituto Gregoriano de Lisboa, Harmonia e Coro. É uma canção diferente das que me conhecem até aqui e creio ser uma excelente escolha para dar o primeiro passo para o que virá a seguir. 

Nos dias 17 e 18 de Julho Rita Guerra atua em Vila Nova de Santo André. Concertos que marcam as celebrações da cidade, e uma ação única: 

Os espetáculos têm entrada gratuita, mas para levantar o bilhete, os fãs têm de proceder à doação de produtos alimentares ou de higiene/limpeza. Para o efeito os fãs devem deslocar-se à Biblioteca Municipal Manuel José do Tojal.

Os espetáculos decorrerão de acordo com as normas definidas pela Direção-geral da Saúde. As entradas  serão limitados aos lugares disponíveis por Lei.

Biografia Rita Guerra

Nasceu em Lisboa em 1967. Desde muito cedo que a sua paixão pela música foi notória. Estudou piano, mas foi a sua voz que lhe valeu a gravação do seu primeiro disco aos 22 anos.

Desde então a sua carreira não parou, e é hoje considerada unanimemente como uma das maiores vozes nacionais.

Durante 20 anos foi cantora residente do maior casino da Europa (o Casino do Estoril), e em 30 de carreira, gravou discos, representou Portugal no Festival da Eurovisão, e fez dobragens em dezenas de filmes da Disney.

Desde 2005 que todos os seus álbuns, editados desde então, têm atingido consecutivamente o galardão de platina, ocupando os lugares cimeiros do top de vendas nacional. Em 2009, com disco “Acústico”, tornou-se na artista portuguesa que mais discos vendeu nesse ano (dados oficiais AFP). Para além de inúmeras participações em discos portugueses, gravou duetos com Ronan Keating e Michael Bolton, subindo ao palco do, então, Pavilhão Atlântico em Julho de 2011, a convite do cantor norte-americano. 

Em 2015, Rita foi jurada no programa da TVI “Rising Star” uma experiência que já tinha vivido, quando no final da década de 90 participou no programa “Chuva de Estrelas”

Em 2016, a comemorar 30 Anos de carreira, editou a biografia “No meu Canto” e cumpre mais um sonho, o de ser acompanhada pela Banda da Força Aérea, com quem tem uma relação familiar e de grande admiração, trabalho que resultou em dois grandes concertos no Coliseu de Lisboa e Multiusos de Guimarães.

Em 2019, Rita Guerra aceitou o desafio de uma das rádios mais ouvidas do país, protagonizando “A Guerra na M80” uma rubrica onde semanalmente cantou ao vivo êxitos escolhidos pelos ouvintes da M80, a partir de uma lista de temas cantados, exclusivamente, por cantores masculinos: Elton JohnBryan AdamsKissCrowded HouseTerence Trent D´Arby, ou a nivel nacional Rui Veloso, Santos e Pecadores ou Jorge Palma, foram alguns dos nomes que mereceram nova roupagem na voz única de Rita Guerra.

Já em 2020 Rita Guerra voltou a surpreender tudo e todos, tornando-se a vencedora da 1ª Edição de “A Máscara”, com transmissão na SIC. Durante semanas, os elogios desdobraram-se em torno da voz surpreendente e versátil do enigmático Corvo, batendo todos os recordes de audiência do serão de domingo à noite.

Em Julho deste ano, finalmente regressa às edições discográficas com o lançamento do novo single “Tudo Há de Passar”, o primeiro trabalho de originais em 5 anos.

Discografia

1990 – Pormenores Sem A Mínima Importância (PolyGram) K7, LP , CD

1994 – As Canções do Sec.( com Lena D’Agua e Helena Vieira – Polygram)

1995 – Independence Days (foi editado originalmente em 95 pela e reeditado em 2015 pela Farol

2000 – Desencontros (com o Beto – Zona Musica)

2005 – Rita (Farol)  (Dupla Platina)

2007 – Sentimento (Farol)

2008 – O melhor de Rita Guerra Acústico ao vivo (Farol) (Dupla Platina)

2010 – Luar (Farol)

2011 – Retrato (Farol)

2013 – Ao vivo no CCB ( Farol)

2014 – “Volta” (Farol)

2015 – “No Meu Canto” (Farol) 

2019 – Sessões na Rádio M80 (Primo)

Os comentários estão fechados.