OPINIÃO CRUZEIRO: ODIVELAS – VINTE ANOS A OLHAR PARA O FUTURO

“O QUE É SER TREINADOR DE FUTEBOL”, POR FILIPE MARTINS NO ISCE
22 Novembro, 2018
EFEMÉRIDES: 23 DE NOVEMBRO – O ATOR JOÃO RICARDO MORREU HÁ UM ANO
23 Novembro, 2018

OPINIÃO CRUZEIRO: ODIVELAS – VINTE ANOS A OLHAR PARA O FUTURO

Odivelas, a nossa terra está de parabéns – fez vinte aninhos como município no passado dia 19!

Têm sido, sem dúvida, vinte anos de crescimento e de desenvolvimento. Façamos o exercício de olhar para trás e recordemos o que era Odivelas nos anos noventa do século e olhemos para o que é hoje. A conclusão é inequívoca: Odivelas está irreconhecível, mudou muito e, felizmente, para muito melhor.

É certo que nem tudo está bem. Há ainda problemas em áreas tão diversas como a saúde, a educação, o ordenamento do território, a rede pública de abastecimento de água, o ambiente ou a recolha de resíduos urbanos mas a verdade é esta: a criação do município de Odivelas fez muito bem à qualidade de vida dos Odivelenses.

De entre as várias áreas problemáticas, elejo duas que, a meu ver, são estratégicas para o crescimento e desenvolvimento sustentado e sustentável do nosso concelho.

A primeira tem a ver com as AUGI’s (Áreas Urbanas de Génese Ilegal, vulgo bairros clandestinos) que ainda proliferam no nosso território. Apesar do esforço dos vários Executivos camarários, muitas associações de moradores estão inativas (nalguns casos, nunca chegaram mesmo a ser constituídas) ou enredadas em problemas de índole legal e judicial. Ora, isto prejudica fortemente os proprietários pois sem a ação dessas associações – a quem compete a construção das respetivas infraestruturas básicas como a rede viária e de abastecimento de água, os passeios ou o saneamento básico e a promoção do processo de legalização dos bairros junto das entidades competentes – nunca os bairros serão legalizados inviabilizando, em seguida, a entrega da sua gestão à Câmara. Sem esta entrega, a CMO nunca poderá, nos termos da lei, providenciar pela manutenção e melhoria dessas infraestruturas ou pela construção de equipamentos sociais. Acresce a isto que muitos proprietários pensam que, tendo a sua casa legalizada, têm a situação do seu imóvel totalmente resolvida, uns por ignorância, outros por pura mentalidade individualista. Há situações raras, mas em circunstâncias excepcionais, em que a CMO poderá intervir, como acontecerá dentro de algum tempo, com o Bairro dos Pedernais que será alvo de intervenção coerciva após acionamento pelo município de uma garantia bancária.

A segunda grande questão estratégica é a mobilidade urbana/transportes públicos. Para além da revolução nestas áreas que ocorrerão na Área Metropolitana de Lisboa (e de que falei na crónica da semana passada) temos o elefante no meio da sala que é a questão do Metropolitano/Linha Amarela.

Ainda ontem, em pomposa entrevista publicada num jornal diário, pude ler que o Presidente do Metro anunciou a expansão da rede para as Amoreiras e para Campo de Ourique. Sem colocar em causa os benefícios que os habitantes destes bairros colherão, continuo sem perceber a lógica de expansão do Metropolitano, que continua a emaranhar-se no centro da cidade com estações quase a sobrepor-se (já viram a concentração de estações no espaço entre as Amoreiras e a Estrela/Lapa?) em vez de apostar numa solução para os movimentos pendulares de entrada e saída da cidade que são o maior e mais premente problema de mobilidade e transportes públicos da região de Lisboa.

De todos os principais eixos de entrada na cidade, o eixo Odivelas/Loures continua a ser o único a beneficiar de apenas um meio de transporte público pesado, enquanto outros eixos beneficiam de, pelo menos, dois. Expandir a rede de metro de Odivelas para Loures com passagem pela Ramada é tirar milhares de carros das ruas, toneladas de emissões poluentes do ar, milhares de minutos improdutivos da vida laboral das pessoas e das empresas, é, em suma, aumentar a produtividade e qualidade de vida.

Na mesma entrevista, o dito senhor do Metropolitano aproveita ainda para dar um bombom aos tolos que ele deve pensar que os Odivelenses são, anunciando alegremente o prolongamento linha que acaba atualmente em Telheiras até Carnide. Sim, com excepção de Odivelenses benfiquistas em dia de jogo,  é exatamente o que os Odivelenses precisam é de ir diretamente para Carnide com passagem por Telheiras! Obviamente, estou ser irónico.

Talvez um dia saibamos o que está por trás destas muito questionáveis decisões…

Parabéns Odivelas! Parabéns Odivelenses! Desfrutem de Odivelas. Até para a semana!

Fernando Sousa Silva
Sociólogo

 

Os comentários estão fechados.