OPINIÃO/CRUZEIRO: O MOSTEIRO NA DESPORTIVA…..

CDS/ODIVELAS QUER MAIS POLICIAMENTO NAS RUAS
22 Janeiro, 2019
EFEMÉRIDES: 23 DE JANEIRO –
23 Janeiro, 2019

OPINIÃO/CRUZEIRO: O MOSTEIRO NA DESPORTIVA…..

O Mosteiro na Desportiva…

Odivelas,numa semana, embarcou em, duas frentes.

Por um lado e finalmente, a cedência do Mosteiro de São Dinis e São Bernardo para a esfera da Câmara Municipal.

Por outro, a vitória e a certeza que Odivelas será a Capital Europeia do Desporto em 2020…

Tudo isto, numa semana.

Por agora, já nos podemos esquecer do Metro, da falta de escolas, dos problemas no centro de saúde, das falhas nos transportes…

Agora, vai ser o tempo da auto congratulação e bajulação ao executivo municipal, pelas opções políticas que tomou e quem pertence ao circulo, tem que aceitar. ( A começar já na próxima assembleia municipal…)

Este inicio de ano, está pródigo em acontecimentos relevantes.

Bom seria que assim se mantivesse.

Muito ouviremos falar, da passagem do Mosteiro e do que vai ser de Odivelas em relação ao desporto.

Como, escrevi em cima, ambas opções políticas.

Se no caso do Mosteiro, só podemos concordar, com o fim do I.O. e com a passagem deste para a esfera municipal, na candidatura à cidade europeia do Desporto, teremos que duvidar, dos verdadeiro benefícios que trará o nosso concelho, na sua generalidade, já que até  agora, a maioria dos grandes acontecimentos, apenas se ficaram por uma freguesia.

Voltando ao Mosteiro e aos números que são conhecidos, porque, certamente ainda teremos muitas surpresas. Sem ser só pelos números, mas pelas finalidades a dar ao espaço.

Serão 23.000 euros, mensais,de renda, estimados 16 000 000 euros, para obras de intervenção, ou o penso rápido, como lhe quiserem chamar.

E o que mais pode vir, que ainda não se sabe, que ainda não se afigura.

Continuamos sem saber, o que foi levado nos últimos dias, antes da passagem oficial. Sem saber, o que pertence, ou o que deveria de pertencer e permanecer nos edifícios.

Acima de tudo, esperamos, com muita expectativa, pela discussão pública, por dar a voz a quem a aqui habita, trabalha, para que se possa pronunciar pelo destino deste emblema de Odivelas.

Já se ouve e em demasia, muitas soluções. Demasiadas hipóteses e poucas certezas.

Uma das hipóteses aventadas, seria a de centralizar, os serviços da câmara,naquele edificado.

Uma solução audaz,mas compensatória a nível da poupança, nas rendas, algumas exorbitantes, que o município paga, pelos edifícios, por onde tem espalhados os seus diferentes departamentos

Traria, um outro problema, a nível da mobilidade, de quem pudesse querer chegar ao local, mas, com um estudo sério e com opiniões válidas, seria algo que era possível ver-se resolvido.

Agora, a vitória de Odivelas, na candidatura à cidade europeia do Desporto…

O que vai trazer de valor para nós?!

Para além de uma série de protocolos que retiraram espaços que poderiam, aliás, deveriam de ser para uso comum, ainda, não se viu nenhum melhoramento de monta, em muitos dos equipamentos que proliferam pelo concelho.

Afinal, o concelho é composto por outras freguesias.

Tanto dinamismo desportivo, chamou a atenção por Odivelas e a agora, em 2020, será a Capital Europeia do desporto.

Felizmente, a linha amarela ainda funcionará ( e assim esperamos que se mantenha) e não haverá necessidade de transbordo e perdas de tempo para se chegar ao nosso concelho.

E imaginem o que era a malta do desporto ficar perdida, em algum transbordo e andarem às voltas…

(Também poderiam ter apresentado uma candidatura a capital europeia da Cultura, mas foi preferível privatizar o grande polo cultural de Odivelas)

Continuamos sem saber o quanto isto custou na realidade e quanto mais vai custar…

Os eventos, as promoções festivas, a deslocação a Portimão, da comitiva, ou delegação, como lhe queiram chamar…

Tudo aquilo que está prometido acontecer, em menos de um ano,vai ter custos.

Principalmente quando a população reparar, que o foco, cada vez, está menos no seu bem estar.

PS – Nada contra o desporto…

Rui Santos

Os comentários estão fechados.