OPINIÃO/CRUZEIRO: GABINETE VETERINÁRIO MUNICIPAL

GREVE NOS COMBÓIOS, SEXTA-FEIRA, SEM SERVIÇOS MINÍMOS
4 Dezembro, 2018
A JUNTA DA UNIÃO DE FREGUESIAS DA RAMADA E CANEÇAS DESEJA-LHE BOAS FESTAS
4 Dezembro, 2018

OPINIÃO/CRUZEIRO: GABINETE VETERINÁRIO MUNICIPAL

Gabinete Veterinário Municipal

Para os mais incautos, Odivelas tem um Gabinete Veterinário Municipal (em diante, apenas usarei as siglas GVM) e um Centro de Recolha Oficial de Animais errantes. ( vulgo Parque dos Bichos)

Tem, mas o seu funcionamento ainda está longe de ser o ideal.

Apesar das ideias e sugestões, cada vez mais, parece, que o executivo, não o quer melhorar.

Quem quer ser atendido pelo veterinário municipal,para além do tempo de espera para uma consulta, está limitado nos dias e nos horários. Uma simples vacinação, espera-se um, dois meses. E ainda podemos correr o risco, de quando chegar o dia, não haver a vacina pretendida.

As condições de atendimento, deveriam de ser melhoradas. Falta espaço, equipamentos, meios humanos. São maiores as instalações onde estão os serviços administrativos, do que o consultório.

Para além da falta de espaço, faltam meios humanos. Esperamos, quase a fazer um ano, por uma nova veterinária municipal. ( o concurso público, continua a decorrer) Veterinária, que iria conseguir alargar o horário de atendimento, mais consultas, mais cirurgias. Melhoraria, na generalidade, o serviço prestado pelo Gabinete veterinário municipal, às e aos munícipes de Odivelas.

Têm sido apresentadas, em Assembleia Municipal, uma série de propostas e requerimentos, na tentativa de perceber e melhorar esta valência. Maioritariamente, foram chumbadas, ou ainda à espera para serem realizadas.

Casos, de propostas de recomendação, para a criação de uma espécie de programa GATO, mas que envolvesse canideos, reformulação dos parques caninos, campanha de recolha de dejetos, campanhas de sensibilização para o bem estar animal…

Em Odivelas, o município para não se responsabilizar, fez um pequeno up grade a um programa,mais antigo e deu-lhe o nome de programa GATO – gestão de animais no território de Odivelas.

Cria a figura da Cuidadora, sendo esta a responsável, pela captura e entrega no GVM, para a esterilização e posterior cuidados,no recobro pós operação. Recobro esse, feito, ou nas colónias, na rua, ou na casa das Cuidadoras, já que ainda hoje, se espera pelos espaços que deveriam de ser facultados pelas Juntas, para o pós operatório.

Muitas vezes, é um esforço acrescido para estas Cuidadoras, que dão tanto do seu tempo, para algo que deveria de ser o GVM a fazer.

Ainda mais vergonhosa, é a pseudo campanha de sensibilização para a recolha de dejetos caninos… Uma campanha, que apenas segue o que já tinha sido feito em algumas zonas de Odivelas. A colocação de dispensadores e…e…mais nada…

Em 2019  a barreira dos 100 000 euros vai ser transposta e de melhorias, nada! Copiando, o que já tinha falhado, como poderiam esperar diferenças no objetivo final?!

Este GVM, tem orçamento camarário. Tem verbas e rubricas próprias, inscritas no orçamento. Dificilmente, veremos a ampliação do Centro de recolha oficial de animais errantes de Odivelas, brevemente. ( espero estar enganado)

Mas vimos, algo de estranho. Uma campanha de recolha de alimentos e outros bens, para o Parque dos Bichos, que é o centro de recolha oficial de animais errantes de Odivelas.

Com tantas associações, estas campanhas de recolha, deveriam de ser dirigidas para elas e não para um serviço público, que tem orçamento próprio.  E se o orçamento não chega para alimentar uma quantidade limitada de animais ao cuidado do município, começamos a entender, o que a Câmara Municipal de Odivelas preocupa-se com o bem estar animal.

E nota-se, a falta de orçamento, ou as prioridades a serem invertidas, nas celebrações do dia do animal. De mega – eventos em espaços de referência (Centro Comercial Strada, feira do Silvado, Pavilhão Multiusos), para uma simples cãominhada… ( mas que se calhar,até teve mais impacto e melhor passou a ideia )

A sensibilidade, das pessoas, para com a causa animal, é cada vez mais visível e que tem que ser tomada em linha de conta. Mas neste campo, continuamos a recuar, apesar de todas as tentativas de avanço.

Rui Santos

Os comentários estão fechados.