OPINIÃO CRUZEIRO: A NOSSA RÁDIO CRUZEIRO – ESSA ETERNA E SONHADORA FÉNIX QUE PERSISTE EM RESSUSCITAR 

CDS DE ODIVELAS VAI APRESENTAR QUEIXA CONTRA O GOVERNO E AUTARCAS
14 Março, 2019
BE QUER TAXA TURÍSTICA EM LOURES
14 Março, 2019

OPINIÃO CRUZEIRO: A NOSSA RÁDIO CRUZEIRO – ESSA ETERNA E SONHADORA FÉNIX QUE PERSISTE EM RESSUSCITAR 

A única rádio de Odivelas e um dos poucos órgãos de comunicação social local de Odivelas faz hoje, dia 14 de março, seis anos. Falo, obviamente, da nossa Rádio Cruzeiro, a rádio de Odivelas. 

Contudo, esta história não começou apenas em 2013; começou muito antes, com o arranque das emissões a 27 de outubro de 1986 (em FM, na posição 105.7Mhz), a partir de um estúdio no sítio da Várzea (ali bem perto do local onde hoje está a Escola Secundária da Ramada). Foram fundadores António José Portela, Henrique Martins, Humberto Fraga, Armando Gouveia, Luís Filipe Silva, Fátima Rodrigues e Carlos Jorge (espero não ter esquecido nenhum). 

Era o tempo das rádios livres locais, surgindo como cogumelos um pouco por todo o lado, vivendo um pouco à margem da lei, com muita gente idealista e empreendedora a tentar concretizar o sonho da rádio e dando vazão à sua criatividade e energia. 

A maior parte destes projetos morreu passado pouco tempo mas o que é certo é que deixaram muitos frutos que anda hoje perduram. Estas rádios foram autênticas “escolas” pois foi nelas que muitos dos profissionais que hoje conhecemos da rádio, da televisão e do jornalismo deram os seus primeiros passos. A Rádio Cruzeiro não foi exceção. De todos eles – e apenas para dar um exemplo – o nome mais sonante talvez seja o do conhecido jornalista Hernâni Carvalho, hoje a trabalhar na SIC com a carreira de sucesso que se conhece. A título de curiosidade e porque a ele me liga uma boa amizade e o exercício de funções públicas, menciono também, como antigo colaborador da Rádio Cruzeiro, o nome de Manuel Varela, atual presidente da União das Freguesias de Ramada e Caneças. 

Também a Rádio Cruzeiro sucumbiu passado pouco tempo. Depois do segundo confisco do seu emissor pelos Serviços Radioelétricos (numa história que ainda tem pontas por desvendar), não foi possível apresentar uma candidatura ao concurso de atribuição de frequências. Ganharam a Rádio Nova Antena, a Estação Orbital e a Rádio Horizonte Tejo. 

Contudo, o melhor fruto deste projeto inicial foi ter deixado uma ideia que resistiu à passagem do tempo e à profunda mudança que entretanto ocorreu no mundo radiofónico. Essa ideia consiste em dar ao concelho de Odivelas uma rádio a que os Odivelenses possam chamar sua, uma rádio centrada neles e no seu território, que os acompanha e que os informa. 

Esta ideia prevaleceu de tal forma que, 26 anos depois, em 2013, algumas das pessoas envolvidas na Rádio Cruzeiro nos anos 80 decidiram pegar nela, (re)fundar a Rádio Cruzeiro – Associação Cultural e reiniciar as emissões, desta vez usando a internet. Neste renascimento, destaco os nomes do Luís Filipe Silva, do António José Portela e da Fátima Silva, que ainda hoje continuam ligados a este projeto. 

Todavia, poderá perguntar-se: continua a fazer sentido uma rádio centrada em Odivelas? 

Eu acredito convictamente que sim. A informação regional ou local é essencial para o exercício de uma cidadania informada, para elevar a participação política, cívica e social dos cidadãos, para valorizar aquilo que nos é mais próximo, para dar visibilidade à nossa cultura e tradições, para dinamizar as atividades e iniciativas locais, para criar identidade própria e para melhorar a qualidade de vida dos Odivelenses. Mas se quisermos uma demonstração mais prática da falta que uma rádio local faz pensemos nisto – muitas vezes, é-nos mais fácil ouvir notícias do que se passa no outro lado do mundo do que saber o que se passa na rua ou na freguesia ao lado! 

É para isto que serve uma rádio local e é por isto e pelos Odivelenses que, na Rádio Cruzeiro, continuamos e continuaremos a trabalhar. Mais – não vamos desistir do sonho de voltar a ter uma frequência de rádio. Os Odivelenses precisam e merecem. Aliás, como se pode ler no nosso site, na Rádio Cruzeiro “estaremos sempre por aqui, sem dramas, sem stress, por Odivelas, com Odivelas e para Odivelas. Tal como há vinte e seis anos. 

Até para a semana. Desfrutem de Odivelas e ouçam a vossa rádio – a Rádio de Cruzeiro, de Odivelas 

Os comentários estão fechados.