ODIVELAS SEM GARANTIAS EM RELAÇÃO À AMPUTAÇÃO DA LINHA AMARELA

EFEMÉRIDES: 9 DE AGOSTO – HÁ 5 ANOS, NOVO BRAÇO DE FERRO ENTRE ESPANHA E INGLATERRA, POR CAUSA DE GIBRALTAR
9 Agosto, 2018
CERCA DE 50 CASAS FORAM DESTRUÍDAS PELO INCÊNDIO EM MONCHIQUE
9 Agosto, 2018

ODIVELAS SEM GARANTIAS EM RELAÇÃO À AMPUTAÇÃO DA LINHA AMARELA

Na passada quarta feira, o presidente da Câmara e os vereadores do PS aprovaram um parecer, no qual se recomenda a reformulação do estudo de impacto ambiental da expansão da linha do Metropolitano, que transforma a linha verde numa linha circular e encurta a linha amarela.

A recomendação que o PS aprovou na câmara não garante a manutenção da linha amarela tal como está e e também não recomenda ao governo a sua expansão até Loures, decisão que iria favorecer em muito os habitantes do nosso concelho, nomeadamente ao nível da pressão do estacionamento. A proposta do PS considera o compromisso do Ministro do Ambiente, mas que ninguém na administração do METRO subscreve.

Na deliberação da Câmara, agora aprovada  assume-se, como aceitável, apenas a integração da linha amarela na linha verde em hora de ponta. É uma solução que não está prevista no estudo de impacto ambiental do projeto e não é assumida pela administração do metropolitano de Lisboa, uma vez que esta defende que  a integração da linha amarela na linha circular verde em hora de ponta só agravaria o serviço prestado aos munícipes, uma vez que tornaria mais morosas as deslocações a partir do concelho de Odivelas para o centro da cidade e aumentaria o intervalo de passagem das composições nas estações já que na mesma linha circulariam o dobro dos comboios.

Os vereadores da CDU na Câmara de Odivelas não concordam com o que consideram ser a  “lealdade” partidária do presidente da Câmara ao governo do PS, que “fragiliza a posição da Câmara na defesa dos interesses dos munícipes e enfraquece as justas expectativas da população” e  manifestaram intenção de aprovar uma recomendação que condenasse a solução do governo e que apontasse efetivas soluções para resolver os problemas de mobilidade do concelho de Odivelas, mas esta vontade não foi partilhada pelo presidente da Câmara.

Mesmo assim, os vereadores da CDU denunciam que “A concretizar-se o projeto do Metropolitano de Lisboa, a linha amarela vai ser encurtada, passando a ter um percurso de Odivelas até Telheiras. O governo vai gastar quase trezentos milhões de euros para tornar a linha verde numa linha circular, através da criação de duas novas estações na zona ribeirinha de Lisboa, servindo fundamentalmente os interesses especulativos do sector imobiliário na capital“.

Acrescentam que “A solução defendida pela CDU é a que melhor defende os interesses dos odivelenses, pois significaria o desagravamento do estacionamento junto às estações do metro de Odivelas e Senhor Roubado, ao mesmo tempo que permitiria à população da zona norte da Área Metropolitana de Lisboa, um meio mais cómodo, rápido e mais amigo do ambiente para quem diariamente se desloca dos concelhos de Odivelas, Loures e Mafra para Lisboa” e finalizam considerando que “A concretizar-se a opção preconizada da criação da linha verde circular, o entendimento da CDU é que o Presidente da Câmara de Odivelas e o PS em Odivelas devem exigir do Metropolitano, do Governo Central e da AML comparticipação para a resolução efetiva do grave problema em que se tornou o estacionamento na cidade de Odivelas e que a manter-se degrada ainda mais a qualidade de vida no concelho“.

 

Os comentários estão fechados.