FALTA DE CIVISMO É PERIGO PARA A SAÚDE PÚBLICA EM ODIVELAS

BRUNO REBELO DEIXA A COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE ODIVELAS DO PNR
21 Agosto, 2018
METRO: “AMPUTAÇÃO” DA LINHA AMARELA. – TERMINA AMANHÃ O PRAZO PARA SE PRONUNCIAR.
21 Agosto, 2018

FALTA DE CIVISMO É PERIGO PARA A SAÚDE PÚBLICA EM ODIVELAS

Um ouvinte perfeitamente indentificado e cuja identidade a RÁDIO CRUZEIRO protege de acordo com a legislação em vigor fez-nos chegar um rol de fotos demonstrativas da conspurcação da via publica, que causa cheiros imundos, perigos para a saúde, transtornos e perigos para a circulação de munícipes, proliferação de insectos e roedores  que por si só causam doenças.

Desde óleos a escorrer para o solo, madeiras, plásticos, vidros, materiais ferrosos, produtos quimicos, até chapas de lusalite e alguns lixos domésticos fazem parte da paisagem junto aos contentores nos bairros do Casal Novo e Flor do Minho, uma situação que precisa ser resolvida quanto antes.

A foto que juntamos, selecionada de entre as muitas recebidas, retrata uma situação que grassa por todo o concelho de Odivelas deixa três questões para análise.

Primeiro a questão da educação. Não há lixo doméstico acumulado no contentor, mas a sua tampa aberta denota falta de cuidado, uma vez que após a deposição do lixo a tampa do contentor deve ser fechada de modo a evitar maus cheiros derivados da decomposição do lixo. Embora não seja o caso é frequente ver-acumulado de lixo doméstico, a recolha de resíduos urbanos naquela zona carece ser melhorada.

Depois a questão do civismo: Os SIMAR têm rotas de recolha de monos que, em dia fixo da semana, contemplam todas as freguesias dos concelhos de Loures e Odivelas, pelo que a sua colocação junto ao contentor deve ser feita, apenas da véspera do dia indicado.

Por último e não menos importante é também visível a deposição de lixo industrial, o que pressupõe a necessidade de uma maior fiscalização, coimas mais pesadas e o sentimento de cidadania que leve à denúncia sempre que verificar este tipo de despejos ilegais na via pública.

Foto: Ouvinte identificado

 

Os comentários estão fechados.