EFEMÉRIDES: 12 DE JUNHO – LOGO À NOITE HÁ MARCHAS NA AVENIDA
12 Junho, 2017
MEDIAÇÃO DE CONFLITOS
12 Junho, 2017

EMPREGO E FINANÇAS

Presentismo Financeiro: O que é? Quais os custos para as empresas? Como combater? (Continuação)

 Então perceber como é que esse endividamento afeta as empresas onde essas pessoas estão inseridas? Aqui é importante definir dois conceitos: o absentismo e o presentismo. Se no primeiro os funcionários estão ausentes da empresa por baixa médica, falta justificada ou injustificada por mais ou menos tempo, no caso do presentismo os funcionários estão presentes na empresa mas apenas fisicamente dado que mentalmente estão ausentes e imersos nos seus problemas sejam eles financeiros ou outros.

O presentismo nas empresas pode tomar várias formas e ser motivado por diversos fatores. Aqui importa-nos perceber o presentismo financeiro e qual a sua influência nas empresas, como pode ser identificado e combatido.

Segundo um estudo de 2012, 40% dos funcionários relataram incapacidade de se concentrar no trabalho devido a problemas financeiros pessoais, também vulgarmente chamado de stress financeiro.

E isto leva-nos a uma nova questão: quais os efeitos que este fenómeno tem para as empresas? Em termos gerais podemos falar de perda de produtividade individual em um terço ou mais e risco de acidentes de trabalho para o trabalhador, para a organização e para os restantes colaboradores.

E em termos de custos? Segundo os estudos existentes os trabalhadores gastam em média 1,20 horas/dia em atividades pessoais e em média 4,9 horas numa semana normal de trabalho.

A título de exemplo na Grã Bretanha os dados que mostram que o presentismo financeiro custo cerca de 710€ por ano / colaborador e nos Estados Unidos há um custo de 8.347€ / ano / colaborador.

Como é que as empresas podem reduzir estes custos e apoiar ao mesmo tempo os colaboradores que têm problemas financeiros e sofrem de endividamento?

Fazendo um diagnóstico que visa identificar quais os colaboradores que sofrem de stress financeiro, quais os que estão endividados e quais os que estão financeiramente saudáveis.

O diagnóstico deve ser feito de forma direta pela empresa analisando a informação sobre penhoras de vencimento, caso as mesmas existam e de forma indireta auscultando através de um questionário anónimo e online todos os colaboradores. Desta forma será possível identificar além do endividamento já registado qual a % de colaboradores que vive com stress financeiro, isto é, que ainda não estando em endividamento têm, no entanto, dificuldades em fazer face às suas responsabilidades.

Além desta informação será possível ainda conhecer a % de colaboradores financeiramente saudáveis, ou seja, os que têm um equilíbrio financeiro entre o que recebem e o que pagam.

Após esta análise e perante os resultados a empresa tem duas opções: contratar serviços especializados para curar ou remediar, a chamada consultoria financeira, ou investir em prevenção proporcionando aos seus colaboradores workshops, sessões de sensibilização em grupo ou individuais e formação em Educação Financeira.

É uma responsabilidade social das empresas investir em prevenção!

Para mais informações sobre o programa de combate ao presentismo financeiro contacte a AESS: geral@economia-sustentavel.com

Dulce Forte

Presidente da Direção da AESS

Os comentários estão fechados.