EFEMÉRIDES: 8 DE NOVEMBRO – DIA MUNDIAL DO URBANISMO

CÂMARA DE ODIVELAS VAI APOIAR A AMPLIAÇÃO DO CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DA PÓVOA DE SANTO ADRIÃO
7 Novembro, 2018
CÂMARA DE ODIVELAS ISENTOU PRODUTORES DO PAGAMENTO DE TAXAS NO FESTIVAL DA MARMELADA.
8 Novembro, 2018

EFEMÉRIDES: 8 DE NOVEMBRO – DIA MUNDIAL DO URBANISMO

EFEMÉRIDES

8 de novembro

Dia Mundial do Urbanismo

1860 – Morreu o poeta romântico Soares de Passos. Nascido no seio da média burguesia comerciante portuense, viveu largas temporadas da infância com o pai ausente, fugido às perseguições que lhe moveram durante as guerras civis devido às suas ideias liberais, o que terá marcado o seu temperamento algo soturno. Ingressou na Universidade de Coimbra, em 1849, para cursar Direito. Por lá, conviveu com outros estudantes do Porto, como Alexandre Braga, Silva Ferraz e Aires de Gouveia, com quem fundou, em 1851, a revista Novo Trovador. Em 1854, já formado, regressou ao Porto e, depois de uma passagem pelo Tribunal da Relação do Porto, decidiu dedicar-se exclusivamente à literatura, colaborando activamente nos jornais de poesia O Bardo e A Grinalda. Para a sua celebridade contribuiu não apenas a sua imagem de misantropo e a frequência dos salões portuenses, como também o bom acolhimento dos críticos, nomeadamente de Alexandre Herculano que, em carta, considerou Soares de Passos como “o primeiro poeta lírico português deste século”, referindo-se ao século XIX. Sendo um poeta muito divulgado no seu tempo, morreu precocemente aos trinta e quatro anos, vítima da tuberculose, deixando um único livro – Poesias – onde confluem todas as tendências do imaginário poético seu contemporâneo. Foi sepultado no Cemitério da Lapa, no Porto.

1925 – Realizaram-se em Portugal as últimas eleições legislativas da I República.

1951 – Foi inaugurado o Teatro Monumental, em Lisboa.

1983 – Foi constituído o Clube dos Jornalistas.

1987 – A “Bartolomeu Dias”, réplica da caravela com que o navegador português passou o Cabo das Tormentas, partiu de Lisboa rumo à África do Sul, numa repetição da viagem realizada 500 anos antes.

1998 – Os portugueses disseram “não”, em referendo à Regionalização em Portugal.

2000 – O Orçamento do Estado foi aprovado na generalidade, viabilizado pela abstenção do deputado Daniel Campelo do PP. Ficou conhecido como o Orçamento do Queijo Limiano.

2006 – Os primeiros sete notários recém-formados e não oriundos do funcionalismo público tomaram posse, assumindo funções em cartórios de Lisboa, Almada, Porto, Vila Nova de Gaia, Paços de Ferreira, Viana do Castelo e Esposende.

2007 – Os portugueses beneficiários finais de apoios no âmbito da Política Agrícola Comum passaram a constar de uma base de dados no site da Internet da Comissão Europeia, em conjunto com os agricultores de outros 10 países.

– Uma equipa de investigadores identificou uma nova estirpe do vírus da Sida em gorilas selvagens no Sul dos Camarões.

– O poeta António Ramos Rosa foi distinguido com o Prémio de Poesia Luís Miguel Nava 2006, pelo livro “Génese seguido de Constelações”

– O produtor  Paulo Branco recebeu o Giraldillo de Ouro, atribuído pelo Festival de Cinema Europeu de Sevilha.

– Morreu Manuel Ramos, aos 86 anos, jornalista, antigo diretor do Jornal de Notícias.

2008 – Milhares de professores vindos de todo o país encheram o Terreiro do Paço em Lisboa, numa manifestação para exigir a suspensão do modelo de avaliação de desempenho proposto pelo governo

2009 – Morreu Jorge Sá Borges, antigo ministro do Trabalho no Governo de Maria de Lourdes Pintasilgo, aos 76 anos.

2015 – A descoberta da forma como funciona uma proteína que repara lesões de cancro pelos cientistas Sílvia Carvalho, Alexandra Vítor e Sérgio Almeida do Instituto de Medicina Molecular foi reconhecida com prémio do Instituto Português de Genética.

2016 – Os profissionais das empresas de diversão estiveram em protesto. Tentaram ser recebidos no Ministério das Finanças e após a recusa de audiência forçaram a entrada no edifício para “assinar o livro de reclamações”. A PSP recorreu aos bastões e ao gás pimenta para os travar.

2017 – A seca extrema estva a deixar o rio Douro com níveis de água muito abaixo do normal, para a época do ano, e a nascente em Espanha, nos Picos Urbión secou por completo, embora de forma temporária. Um sinal preocupante e que refletia a situação de seca extrema que se vivia em toda a Península Ibérica.

===============.

Este é o tricentésimo décimo segundo dia do ano. Faltam 53 dias para o termo de 2018.

Pensamento do dia: “Para enxergar as coisas sem feitio é preciso não saber nada. É preciso entrar em estado de árvore”. Manoel de Barros (1916), poeta brasileiro.

Os comentários estão fechados.