EFEMÉRIDES: 6 DE JUNHO – EM 1944 FORÇAS ALIADAS DESEMBARCARAM NA NORMANDIA

“CONTRA O FIM DA LINHA AMARELA” JUNTA OPOSIÇÃO NO METRO
5 Junho, 2019
EFEMÉRIDES: 7 DE JUNHO – LIVRAMENTO MORREU HÁ 20 ANOS
7 Junho, 2019

EFEMÉRIDES: 6 DE JUNHO – EM 1944 FORÇAS ALIADAS DESEMBARCARAM NA NORMANDIA

EFEMÉRIDES

6 de junho

1502 – Nasceu, em Lisboa, D. João III, cognominado O Piedoso ou O Pio pela sua devoção religiosa. Foi o décimo-quinto Rei de Portugal. Era filho do rei Manuel I de Portugal e de Maria de Aragão, princesa de Espanha. Sucedeu a seu pai em 1521.

1789 – Foi decretada a deserção de Manuel Maria Barbosa du Bocage, tenente de infantaria da 5ª Companhia da guarnição da praça de Damão.

1853 – Alexandre Herculano iniciou a recolha dos “Portugaliae Monumenta Historica”, que seriam publicados  a partir de 1856.

1875 – Nasceu o escritor alemão Thomas Mann, autor de “Doutor Fausto”, que viria a ser Prémio Nobel da Literatura em 1929.

1926 – Foi proclamada a vitória do golpe militar de 28 de Maio, que instituiu a ditadura nacional.

1944 – As forças aliadas desembarcaram nas praias da Normandia, em França, país que estava ocupado pelos nazis desde 1940. A  data ficou conhecida na história como a Batalha da Normandia ou dia D.

1968 — Morreu o senador norte-americano Robert Kennedy, um dia depois de alvejado em Los Angeles

1985 – Foi criada a Ordem de Camões, para distinguir serviços à cultura portuguesa prestados por nacionais ou estrangeiros.

– O jornal alemão federal Die Welt noticiou a morte do criminoso nazi Josef Mengele, no Brasil. As autoridades do país exumaram um cadáver, que mais tarde foi identificado como sendo do responsável direto pelos testes clínicos no campo de extermínio de Auschwitz e pela morte de meio milhão de pessoas.

1995 – A África do Sul suprimiu a pena de morte.

2003 – Terminou a fase de instalação e entrada em funcionamento do sistema automático de acesso às estações do Metro de Lisboa, controlado pela apresentação de cartão ou bilhete válidos.

2004 – Encerrou com sucesso o primeiro Festival Rock em Rio Lisboa.

– A seleção portuguesa de râguebi venceu o Torneio de Sevens de Londres.

2006 – O ator e encenador Luís Miguel Cintra recebeu o Prémio Pessoa.

2007 – O ex-vice-presidente norte-americano Al Gore foi distinguido com o Prémio Príncipe das Astúrias de Cooperação Internacional.

– O Estádio Municipal de Braga venceu o Prémio Nacional de Arquitetura Paisagística 2007.

– Morreu o presidente da Associação de Futebol do Porto, Adriano Pinto, devido a vários problemas de saúde.

2008 – Uma carruagem do metro de Mirandela descarrilou, provocando dois feridos ligeiros. Este acidente deu-se exatamente na mesma zona da linha do Tua onde já tinham ocorrido dois acidentes no último ano e meio

2009 – Os bens do ex-presidente do Banco Privado Português, João Rendeiro, foram arrestados e as suas contas, como as de outros ex-gestores do banco, foram congeladas “por suspeita de fraude fiscal”.

2013 – Depois de um encontro entre delegações do PS e do PSD, o socialista Alberto Martins apontou ”divergências insanáveis estruturais e profundas entre” os dois partidos. Da parte do PSD, Jorge Moreira da Silva disse que o PS só pensava em eleições e que desistira dos problemas dos portugueses.

2014 – Cristina Scuccia, a freira siciliana de 25 anos que arrebatou o público e conquistou o júri nas audiências, venceu a edição italiana do concurso The Voice, com 62,3% dos votos. Ao vivo, em directo, agradeceu a Deus e pôs a plateia a rezar.

2016 – O uso de cábulas durante o ‘Gaokao’ chinês, o maior exame de acesso à universidade, passou a ser um crime punido com pena de prisão até 7 anos.

2017 – Três médicos foram constituídos arguidos, por fraudes no Serviço Nacional de Saúde, no processo “O negativo”, também conhecido por “Máfia do Sangue”.A Policia Judiciaria realizou buscas em residências, gabinetes de contabilidade, consultórios médicos e Centros Hospitalares de Lisboa e do Porto.

============.

Este é o centésimo quinquagésimo sétimo dia do ano. Faltam 208 dias para o termo de 2019.

Pensamento do dia: “A solidão mostra o original, a beleza ousada e surpreendente. E também mostra o avesso, o desproporcionado, o absurdo e o ilícito”. Thomas Mann (1875-1955), escritor alemão, Prémio Nobel da Literatura.

Os comentários estão fechados.