EFEMÉRIDES: 16 DE MARÇO – ABRANTES FOI ELEVADA A CIDADE HÁ 103 ANOS

LOURES: MULTICULTURALIDADE EM DESTAQUE
15 Março, 2019
DIA MUNDIAL DA ÁRVORE, EM LOURES
16 Março, 2019

EFEMÉRIDES: 16 DE MARÇO – ABRANTES FOI ELEVADA A CIDADE HÁ 103 ANOS

EFEMÉRIDES

16 de março

1825 – Nasceu Camilo Castelo Branco, em Lisboa. Foi um escritor que trabalhou diversas áreas da escrita, como romancista, cronista, crítico, dramaturgo, historiador, poeta e tradutor. D. Luis concedeu-lhe o título de visconde. Foi um dos escritores mais prolíferos e marcantes da literatura portuguesa. Foi o autor de “Amor de Perdição”, “A Queda de Um Anjo” e “A Corja”, entre outras obras.

1890 – Morreu Andrade Corvo, aos 76 anos. Foi escritor, deputado, ministro e membro da Academia de Ciências de Lisboa. Ministro dos Negócios Estrangeiros entre setembro de 1871 e janeiro de 1878, durante o governo de Fontes Pereira de Melo, acumulou, entre 1872 e 1877, as pastas da Marinha e do Ultramar. Homem culto, frequentou o Colégio Militar e fez estudos de Medicina, Engenharia, Matemática e Ciências Naturais. Tem uma rua com o seu nome em Lisboa, entre as Picoas e o Marquês de Pombal.

1916 – No Governo de António José de Almeida foi criado o Ministério do Trabalho e Previdência Social.

– A vila de Abrantes foi elevada à categoria de cidade.

1927 – O avião “Argus” tripulado por Sarmento de Beires, Jorge Castilho e Manuel Gouveia fez a primeira travessia noturna do Atlântico Sul.

1959 – Morreu, com 61 anos, o poeta António Botto. Foi o  autor de “Baionetas da Morte”.

1961 – Os ataques da UPA no norte de Angola atingiram Carmona, Aldeia Viçosa e Bessa Monteiro.

1974 – Tentativa de golpe militar, em Portugal, pelo Regimento de Infantaria 5 das Caldas da Rainha. Era um sábado e terá sido uma tentativa dos seguidores do general Spínola para assumirem o controlo do Movimento das Forças Armadas, impedindo os capitães de o liderarem e impedindo supostos radicalismos com que não concordavam. Há outra versão que, pelo contrário, aponta para uma manobra para afastar os spinolistas. Na base da tentativa de golpe terá estado a exoneração dos generais Costa Gomes e António de Spínola, ocorrida na sequência do episódio da “Brigada do Reumático”, que terá levado o capitão Virgílio Varela, do Regimento de Infantaria 5 das Caldas da Rainha, a informar que, caso a Comissão Coordenadora do Movimento das Forças Armadas não reagisse à atitude do governo de Marcelo Caetano, ele sairia sozinho com a sua unidade. E foi assim que, sob o comando do capitão António Ramos, os militares das Caldas da Rainha foram os únicos a sair, numa ação descoordenada e condenada ao fracasso, na sequência da qual, foram presos cerca de duzentos militares.

1978 – Foi inaugurada a Academia da Força Aérea.

1979 – O PSD retirou o apoio ao Governo de Mota Pinto.

– Morreu, com 90 anos, Jean Monnet. Foi  figura chave na fundação da União Europeia.

1993 – Morreu, aos 69 anos, a escritora Natália Correia. Açoriana, nasceu na Fajã de Baixo, na Ilha de São Miguel, foi deputada, diretora da revista Vida Mundial e autora de “Dimensão Encontrada”. A sua intervenção política foi, essencialmente, ao nível da cultura e do património, pela defesa dos direitos humanos e dos direitos das mulheres. Juntamente com José Saramago, Armindo Magalhães, Manuel da Fonseca e Urbano Tavares Rodrigues foi, em 1992, fundadora da Frente Nacional para a Defesa da Cultura. Nas letras, a obra de Natália Correia estende-se por géneros variados, desde a poesia ao romance, teatro e ensaio. Colaborou com frequência em diversas publicações portuguesas e estrangeiras. Durante as décadas de 1950 e 1960, na sua casa reunia-se uma das mais vibrantes tertúlias de Lisboa, onde compareciam as mais destacadas figuras das artes, das letras e da política oposicionista portuguesas e também internacionais. A partir de 1971, essas reuniões passaram a ter lugar no bar Botequim. Ficou conhecida pela sua personalidade livre de convenções sociais, vigorosa e polémica, que se reflecte na sua escrita. A sua obra está traduzida em várias línguas. Foi a autora do Hino dos Açores e há, em Carnide, em Lisboa, uma Biblioteca com o seu nome.

2003 – Realizou-se a cimeira dos Açores, que juntou nas Lajes o Presidente dos Estados Unidos, George Bush, os primeiros-ministros do Reino Unido e de Espanha, Tony Blair e José Maria Aznar, e também, o primeiro-ministro português Durão Barroso. Foi neste encontro que foi decidida a invasão do Iraque, que seria iniciada quatro dias depois.

2008 – Morreu, aos 71 anos, o antigo inspetor-geral da Administração Interna e magistrado do Ministério Público de carreira Rodrigues Maximiano.

2010 – Um militar português da força nacional destacada no Kosovo morreu na sequência de uma prova de aptidão física.

2014 – Num referendo considerado ilegal pela comunidade internacional, a Crimeia decidiu tornar-se independente da Ucrânia e anexar-se à Rússia, levando a União Europeia a aplicar uma série de sanções a Moscovo.

2016 – A Assembleia da República aprovou o Orçamento do Estado para 2016 proposto pelo Governo PS, com os votos favoráveis do PS, BE, PCP e PEV, a abstenção do PAN e os votos contra do PSD e do CDS-PP.

2018 – A circulação na Linha da Beira Alta esteve interrompida devido a um atropelamento mortal de um idoso por uma composição de mercadorias na zona de Carregal do Sal.

===============.

Este é o septuagésimo quinto dia do ano. Faltam 290 dias para o termo de 2019.

Pensamento do dia: “Só os medíocres sabem o que fazer com a vitória”. Natália Correia (1923-93), escritora, poeta e ex-deputada portuguesa.

                                                                    Vista geral de Abrantes

Os comentários estão fechados.