EFEMÉRIDES: 10 DE ABRIL – RIÇO CALADO, EX-PRESIDENTE DA CÂMARA DE LOURES MORREU HÁ DOIS ANOS

OPINIÃO/CRUZEIRO: QUEM SE ESQUECEU DO MOSTEIRO?
9 Abril, 2019
ISABELA FIGUEIREDO NA BIBLIOTECA JOSÉ SARAMAGO
10 Abril, 2019

EFEMÉRIDES: 10 DE ABRIL – RIÇO CALADO, EX-PRESIDENTE DA CÂMARA DE LOURES MORREU HÁ DOIS ANOS

EFEMÉRIDES

10 de abril

Feriado Municipal na Pampilhosa da Serra, onde se assinala a data em que, a Pampilhosa recebeu das mãos d’El-Rei D. João I, a carta comprovativa dos seus privilégios, prerrogativas e direitos como vila e em Tábua, onde se assinala a data da restauração da comarca.

1821 – As Cortes Constitucionais decretaram a abolição dos privilégios da nobreza em Portugal.

1876 — Foi fundada a Caixa Geral de Depósitos, herdeira do antigo Depósito Público.

1880 – Foi fundada a Associação dos Bombeiros Voluntários da Ajuda.

1924 — Nasceu Sebastião da Gama, que viria a ser poeta e professor.

1929 – Foi fundada a associação Os Inválidos do Comércio.

1947 – Ocorreu uma tentativa de derrube da ditadura portuguesa liderada pelo almirante Mendes Cabeçadas. Para além de Mendes Cabeçadas, faziam parte do movimento, entre outros, o general Marques Godinho, os brigadeiros Vasco de Carvalho, Eduardo Corregedor Martins e António de Sousa Maia, assim como os coronéis Celso Mendes de Magalhães, Luís Gonzaga Tadeu e Carlos Tavares Afonso dos Santos, conhecido pelo seu pseudónimo literário Carlos Selvagem, João Lopes Soares, Ernesto Carneiro Franco, Castanheira Lobo e Francisco Correia Santos eram alguns dos líderes civis do movimento. Os revoltosos contavam, aparentemente, com o apoio do Presidente da República Óscar Carmona, que contudo se afastou de qualquer responsabilidade. No âmbito do levantamento frustrado, deu-se a sabotagem de aviões na Base Aérea de Sintra, levada a cabo por Herminio da Palma Inácio e Gabriel Gomes. Em consequência do insucesso do movimento revoltoso foram presos vários oficiais, entre os quais Mendes Cabeçadas, que foram julgados em Tribunal Militar, no chamado «processo da abrilada».

1953 – Morreu o escritor Antero de Figueiredo.

1983 – Issam Sartawi, representante da OLP no XVI Congresso da Internacional Socialista, em Montechoro, foi assassinado

1996 — O historiador José Mattoso assumiu a direção do Instituto dos Arquivos Nacionais Torre do Tombo.

1997 — Morreram sete pessoas num acidente durante a construção da ponte Vasco da Gama, em Lisboa.

2001 – A Holanda tornou-se o primeiro país do mundo a legalizar a eutanásia.

2002 – Morreu José Andrade, aos  82 anos. Foi fundador dos Parodiantes de Lisboa.

2007 – Foi divulgado um acórdão do Tribunal Constitucional que considerou inconstitucional a colheita coactiva de vestígios biológicos de um arguido, que tenha manifestado a sua expressa recusa em colaborar ou permitir essa recolha, sem autorização do juiz.

– O arquiteto José Brusky recebeu o Prémio do Melhor Empreendimento do Ano 2007, pela remodelação da Praça do Campo Pequeno, em Lisboa, na cerimónia dos Óscares do Imobiliário Português.

2008 – Um deslizamento de terras provocou três feridos ligeiros e interrompeu a circulação na linha do Tua.

2009 — Morreu Aventino Teixeira, militar que participou no 25 de Abril. Considerado próximo do MRPP, o militar aderiu ao documento do Grupo dos Nove, de Melo Antunes, e era conhecido na altura como o “mais civil dos militares”. Contava 74 anos

2012 – Cavaco Silva evocou “razões de interesse nacional” para justificar a promulgação do diploma que ‘congelou’ as reformas antecipadas.

2014 – Os reformados e pensionistas que ganhavam mais de mil euros começaram a receber menos devido à aplicação da nova Contribuição Extraordinária de Solidariedade

2015 – O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, apontou a redução do custo do trabalho para as empresas como uma reforma por fazer e afirmou que a quer concretizar nos próximos anos, com o apoio da União Europeia.

2016 – O poeta e embaixador Luís Filipe Castro Mendes, representante de Portugal junto do Conselho da Europa em Estrasburgo, foi nomeado ministro da Cultura.

2017 – Morreu António Riço Calado. Foi o primeiro presidente da Câmara Municipal de Loures eleito após o 25 de Abril. O Município de Loures decretou dois dias de luto municipal.

2018 – O PSD acusou o Governo de discriminação na distribuição de apoios às vitimas dos incêndios, defendendo que as zonas onde não houve mortes nem feridos graves não podem ser penalizadas. A acusação foi feita numa pergunta ao primeiro-ministro, António Costa, entregue na Assembleia da República e assinada por mais de 50 deputados do PSD.

………………………………

Este é o centésimo dia do ano. Faltam 265 dias para o termo de 2019.

Pensamento do dia: “O nosso ideal é a construção de um mundo novo, na paz e na liberdade. Devemo-lo aos nossos camaradas mortos”. Do juramento dos sobreviventes do campo de concentração nazi de Buchenwald, na Alemanha, libertado a 10 de abril de 1945.

 

Os comentários estão fechados.