CDU VAI PROPOR AO PARLAMENTO RESOLUÇÃO QUE TRAVE A LINHA CIRCULAR DO METRO

ODIVELAS: CÂMARA E ESCOLAS ASSINAM PROTOCOLOS DE COOPERAÇÃO
8 Fevereiro, 2019
SACAVÉM: “A SOPA QUEIMA E OUTRAS HISTÓRIAS”, AMANHÃ, NA BIBLIOTECA
8 Fevereiro, 2019

CDU VAI PROPOR AO PARLAMENTO RESOLUÇÃO QUE TRAVE A LINHA CIRCULAR DO METRO

Em Nota de Imprensa e em relação ao Metro de Lisboa, a CDU/Odivelas considera ser preciso “travar a profunda degradação desta infraestrutura que é estruturante para a mobilidade das populações na Área Metropolitana de Lisboa. Depois de anos de congelamento, era urgente avançar com o investimento na expansão desta rede. No entanto, o Governo optou por limitar esta expansão centralizando todos os recursos na transformação das Linhas Verde e Amarela numa Linha Circular entre o Campo Grande e o Cais Sodré e numa Linha Amarela reduzida à ligação Telheiras.
Sabendo que apenas serão acrescentadas duas novas estações a este plano de expansão que Metro e Governo querem impôs, sabe-se também, que esta opção não serve os interesses dos utilizadores da linha amarela, da cidade nem da área metropolitana de Lisboa e vai sorver recursos necessários a uma verdadeira expansão, para norte, para o oriente e para ocidente.
Na Nota de Imprensa da CDU, pode ainda ler-se que “A aposta nesta Linha Circular é apresentada com argumentos falaciosos, prometendo um aumento de oferta e velocidade nessa Linha Circular, quando se sabe que hoje as composições circulam a 45 km/h e não a 60 km/h por decisão de gestão, e quando se sabe que o intervalo entre composições na hora de ponta deixou de ser os 2,5 minutos, em resultado dessas mesmas alterações, opções de gestão e por falta de material e trabalhadores.”, e onde se faz notar, também que a decisão prejudica, além dos utentes da linha amarela, as duas necessidades mais prementes, as expansões a Loures e a Alcântara.
Por isso mesmo, os deputados da CDU vão propor ao Parlamento que aprove uma Resolução no sentido do Governo reconsiderar a opção imposta ao metro de Lisboa de concretizar a linha circular e que dê prioridade à expansão para Alcântara e Loures.

Os comentários estão fechados.