ACONTECEU A 22 DE SETEMBRO DO ANO …

NOVAS MEDIDAS DE CONTENÇÃO DA PANDEMIA
21 Setembro, 2020
“MULHERES E TURISMO, A MINHA VOZ” WEBINAR COM O APOIO DO ISCE
22 Setembro, 2020

ACONTECEU A 22 DE SETEMBRO DO ANO …

Bebés Negros eram usados como isco para caçar Jacarés

A 22 de Setembro de 1862, o presidente dos E.U.A Abraham Lincoln, declarou a libertação de todos os escravos a partir de 1 de Janeiro do ano seguinte na proclamação da emancipação.

Abraham Lincoln 16º Presidente dos EUA, (eleito pelo partido republicano).

“Não haverá tranquilidade nem sossego na América enquanto o negro não tiver garantidos os seus direitos de cidadão… Enquanto não chegar o radiante dia da justiça… A luta dos negros por liberdade e igualdade de direitos ainda está longe do fim”, declarou Martin Luther King na lendária marcha pelos direitos civis rumo a Washington em 1963.

Essa era a situação nos Estados Unidos cem anos após a abolição da escravatura através da chamada Emancipation Proclamation, promulgada pelo presidente Abraham Lincoln a 22 de Setembro de 1862 com efeito a partir de 1° de Janeiro de 1863 pelo presidente Abraham Lincoln.

Desde o início da colonização, em 1619, quando os primeiros escravos chegaram a Jamestown, os problemas da escravidão e a luta pela libertação dos negros marcaram a história dos EUA e, muitas vezes, dividiram a nação.

Na véspera da Guerra da Secessão (1861–1865), 8 milhões de brancos e 4 milhões de negros (cerca de 500 mil livres) viviam no Sul dos EUA. A estrutura agrária servia de argumento para se afirmar a necessidade da escravidão na região. A discriminação racial era justificada pela crença na suposta desigualdade entre os seres humanos.

Os Estados do Norte aderiram ao Ato de Emancipação de 1° de janeiro de 1863. Os negros passaram a ser recrutados pelo exército nortista, mas a proclamação de Lincoln não significou uma abolição institucionalizada da escravatura.

Em 1860, Abraham Lincoln venceu as eleições presidenciais com uma plataforma de deter a expansão da escravidão nos Estados Unidos. Temendo que Lincoln implementasse leis anti-escravagistas, sete estados romperam com a União antes mesmo do presidente-eleito assumir o cargo. Quando outros quatro estados sulistas se uniram a esses sete, eles formaram os Estados Confederados da América com o intuito declarado de “preservar suas culturas e tradições” e manter a instituição da escravidão. Os estados que optaram pela secessão mais cedo eram aqueles que detinham o maior número de escravos e tinham uma economia completamente dependente de trabalhos forçados.

O que se seguiu foi uma guerra civil que durou quatro anos e matou mais de 600 mil pessoas. Durante a guerra, a União passou as chamadas “leis de confisco”, capturando e libertando os escravos do sul, até que, em 1863, o presidente Lincoln assinou a Proclamação de Emancipação, que efetivamente libertava todos os escravos do sul e tornou a guerra contra a independência do sul em uma “cruzada moral” contra a escravidão.

Os 4 milhões de negros ainda tiveram de esperar até dezembro de 1865, quando o Congresso proibiu oficialmente a escravidão nos Estados Unidos através da 13ª Emenda Constitucional que, aboliu a escravidão em todo o território dos Estados Unidos.

Pelo artigo suplementar 14, os negros obtiveram direitos iguais aos brancos em 1868. Dois anos mais tarde, o artigo 15 garantiu-lhes a igualdade de direito eleitoral. Estados como Carolina do Sul, Mississippi e Louisiana, porém, arranjaram maneira de cercear os direitos dos escravos libertados, mantendo restrições legais, os chamados black codes.

Alguns Estados e municípios, não só no sul dos EUA, encontram ainda hoje meios e caminhos para “manter o negro no seu lugar”. Vinculam, por exemplo, o direito de votar a complicadas provas ou inatingíveis patamares de rendimentos mínimos.

Igualdade não foi completamente concretizada, persiste até hoje, segundo Martin Luther King 3º, filho do líder negro assassinado: “Naturalmente, hoje temos liberdade de opinião, imprensa e religião. Mas algumas outras liberdades faltam. Basta pensar, por exemplo, nos altos escalões empresariais, claramente dominados por homens brancos. Por isso, temos de nos esforçar para sermos a nação que pretendemos ser”.

A Declaração de Emancipação de Lincoln não conseguiu acabar, de repente, com a humilhação da raça negra. Ela também não impediu a violência contra os negros. Ao contrário, motivou até mesmo a criação de sociedades secretas, como a Ku Klux Klan, que estabeleceram o objetivo de manter a hegemonia branca no Sul do país. Uma prova do êxito desse tipo de organização é que somente em 1967 foram anuladas as últimas leis de proibição de casamentos mistos.

Saiba mais sobre a escravatura nos EUA em:

https://www.joaorego.net.br/2019/11/bebes-negros-eram-usados-como-iscas.html

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-43915363

 

90 a.C. – O Rei Dário dos persas, foi derrotado pelo exército grego na Batalha de Maratona.

1609 – Meio milhão de mouros foram expulsos de Espanha.

1738 – Maçons alemães, para contornar as dificuldades colocadas no terreno com a bula do Papa Clemente XII e dos éditos imperiais da Imperatriz austríaca Maria Teresa, inimiga feroz da maçonaria apesar de seu marido Francisco I ser maçon, instituíram em Viena a Ordem dos Mopses, que admitia homens e mulheres, obrigatoriamente católicos.

1767 – Nasceu em Viana do Minho, João da Cunha Sotto–Mayor, doutor em leis por Coimbra, juiz, desembargador na Relação do Porto e na Casa da Suplicação de Lisboa, juiz do Supremo Tribunal de Justiça, fiscal de diamantes em Cerro Frio, Minas Gerais, liberal e membro do Sinédrio, deputado e par–do–reino. Faleceu em 30/11/1850.

1791 – Nasceu em Newington, Michael Faraday, físico–químico, cientista, descobriu ligações do cloro e do carbono, liquefação dos gases, liquefez cloro, anidrido carbónico, amoníaco, anidrido sulfuroso e cloreto de hidrogénio, identificou o benzeno, desenvolveu trabalhos sobre a indução eletromagnética, auto–indução, leis da eletrólise e as linhas de força dos ímanes, a partir das suas experiências foi possível começar a medir a magnitude elétrica. Faleceu em 25/8/1867.

1861 – Otto van Bismark tornou–se primeiro-ministro da Prússia, tendo dotes de grande estadista, deu cabo do império francês em 1870.

1862 – O presidente dos E.U.A Abraham Lincoln, declarou a libertação de todos os escravos a partir de 1 de Janeiro seguinte na proclamação da emancipação.

1868 – Decorreu em até dia 28 em Berna o II Congresso da Paz e da Liberdade, onde acrescentaram os princípios da separação total do estado da igreja, reconhecimento dos direitos das mulheres e da constituição duma federação republicana europeia.

1889 – Nasceu em Messkirch, Baden, Martin Heidegger, filósofo alemão, teve as suas origens na ontologia e na fenomenologia, em 1927 publicou a sua mais conhecida obra, ‘Ser e Tempo’. Em 1933 aderiu ao nazismo, tornando–se o primeiro reitor nazi nacional–socialista da univ. de Friburgo, onde havia estudado, repudiou as suas ligações a Husserl, dado que o mesmo era judeu, críticado pela comunidade académica, demitiu–se no ano seguinte, após a II Guerra Mundial, devido ao seu passado nazi, foi proibido de ensinar, obras publicadas, ‘O Que é uma Coisa?’, ‘Kant e o Problema da Metafísica’, ‘Que é a Metafísica?’, ‘Que é a Filosofia?’, ‘O Princípio do Fundamento’, ‘Carta sobre o Humanismo’, ‘Que Significa Pensar?’, etc.. Faleceu em 26/5/1976.

1907 – Colocada na Figueira da Foz a primeira pedra da estátua de homenagem a Fernandes Tomás, iniciativa apoiada pelo governo e pelo rei e que teve como oradores António José de Almeida e António Pinto dos Santos.

1908 – Reconhecida a liberdade da Bulgária.

1932 – Abdalazize ou Abd al-Aziz Al Saud, conhecido como Ibn Saud torna-se o primeiro Rei da Arábia Saudita, até 1953.

1942 – Primeiro número do jornal diário vespertino Diário Popular, cuja última publicação se verificou em 28/8/1991.

1949 – A U.R.S.S. concluiu a sua primeira experiência atómica.

1960 – Independência do Mali.

1976 – Portugal aderiu ao Conselho da Europa.

1980 – Despontou–se a guerra santa Irão–Iraque, após a denúncia do acordo de 1975 sobre as fronteiras entre os dois países, com a invasão iraniana e destruição da refinaria de Abadan.

1989 – Faleceu com enfarte de miocárdio, enquanto dormia em Nova Iorque, Irving Berlin, nascido em Berlim em 11/5/1888, compôs as músicas ‘Natal Branco’ e ‘God Bless America’.

Os comentários estão fechados.